Seguro de vida mais barato

Seguro de vida mais barato

0 Partilhas

Conseguir um seguro de vida mais barato é o desejo da maior parte das pessoas, contudo por vezes é dificil encontrar um seguro que corresponda as nossas expectativas e que tenha um preço que nos pareça razoável.

Antes de comparar preços e encontrar um seguro de vida mais barato deverá saber em que consiste um.

O seguro de vida é um contrato feito entre uma seguradora e uma pessoa singular, como forma de criar uma proteção em caso de risco de morte ou de vida/sobrevivência.

Este aparece como uma solução prática para cobrir algumas situações como:

  • Morte
  • Sobrevivência
  • Invalidez absoluta e definitiva
  • Invalidez total e permanente
  • Incapacidade temporária absoluta
  • Doenças graves

Estas situações poderão afetar o pagamento dos nossos compromissos, bem como o seu dia-a-dia assim fará sentido contratar um seguro de vida quando:

  • As contas que tem que pagar dependem, total ou parcialmente, do seu rendimento
  • Tiver compromissos financeiros com terceiros
  • O seu agregado familiar depender dos seus rendimentos, total ou parcialmente

O seguro de vida funciona em três modalidades:

  • Risco de morte
  • Risco de sobrevivência, em caso de vida
  • Cobertura mista (risco de morte e sobrevivência)

O seguro em caso de morte irá indemnizar, no valor inicialmente contratado, os beneficiários em caso de morte da pessoa segura, este fator não se aplicará se o seguro for com valor variável, nesse caso a indemnização será do valor capital à altura da morte.

Já o seguro que cobre o risco de sobrevivência, é aplicado caso a pessoa segura se encontrar viva no termino do contrato.

A última cobertura é a junção de ambos, na altura em que o contrato é celebrado é dada a indicação do valor de cobertura capital (a menos que o seguro seja variável) em cada um dos casos, a vantagem desta modalidade é que haverá sempre lugar a uma compensação.

Contudo na maior parte dos casos o seguro que é feito é em caso de morte, como associação a um crédito.

A maioria das contratações do seguro de vida é feito como uma medida de obrigatoriedade, uma vez que em caso de empréstimos a entidade financeira só dá uma resposta positiva mediante a aceitação deste serviço.

No entanto o seguro de vida não é obrigatório, não existindo na prática nenhuma imposição legal, nem mesmo quando associado ao crédito. No entanto o seguro de vida serve como garantia do crédito.

Ou seja, em caso de morte ou invalidez que impeça o devedor de cumprir com os seus compromissos a entidade financeira conseguirá obter o montante emprestado, por parte da seguradora. E se por um lado nenhum cidadão é obrigado a contratar este seguro, a verdade é que o banco se pode recusar a aprovar o crédito se não o fizer.

Para conseguir um seguro de vida mais barato poderá garantir que a cobertura que está a contratar é a que necessita, não contratando portanto serviços desnecessários.

Por outro lado poderá verificar com uma mediadora de seguros, independente do banco, qual o valor dos vários seguros.

Recorde-se que obter um seguro de vida mais barato poderá acabar por pesar mais na fatura do que aquilo que espera. Se o seu seguro serve para cobrir um empréstimo certifique-se que a cobertura será acionada mesmo se estiver numa situação de invalidez.

Para qualquer um de nós a cobertura de morte tem o mesmo significado, e para as seguradoras também. O mesmo não acontece no que diz respeito à invalidez.

A grande diferença está entre invalidez total e permanente, ou invalidez absoluta e definitiva. Provavelmente parecem-lhe sinónimos, até porque no dia-a-dia poderíamos usar estas duas expressões para uma situação. No entanto para uma seguradora tal não se verifica.

A invalidez total e permanente diz respeito a uma situação que deixa a pessoa segurada invalida em mais de 60%, este valor poderá diferenciar entre seguradoras, mas por normal este é o valor mínimo e o máximo é sempre inferior a 70%. Assim sendo se sofrer um acidente que o deixe incapacitado, mas que ainda possa fazer a sua vida quotidiana, a seguradora pagará o seu empréstimo, mediante comprovativos que provém que a invalidez é igual ou superior ao que está contratado.

Já a invalidez absoluta e definitiva diz respeito a uma situação praticamente vegetativa, em que a pessoa segurada estará dependente de outros para todas as suas rotinas básicas.

Assim, mesmo que a cobertura de invalidez total e permanente sejam um acenar a um seguro de vida mais barato, valerá certamente a pena, porque se estará a prevenir melhor.

Poderá no entanto comparar entre seguros opções com esta cobertura e obter o mais barato. Mesmo que tenha que contratar uma seguradora diferente do seu banco, motivo para ver uma subida de spread, a maior parte das vezes compensa, e em alguns casos por algumas dezenas de euros.

Lembre-se, só vale a pena ter um seguro de vida mais barato, se deixar a sua vida efetivamente e plenamente protegida.

0 Partilhas